8 de julho de 2008

Meu nome não é Marcão

Uma coisa que incomoda é quando alguém troca meu nome. Esse tipo de situação acontece direto comigo, e eu sempre fico naquela falta de graça de corrigir a pessoa, o que acaba reforçando para ela que meu nome realmente é aquele pelo qual fui chamado.

Só para exemplificar, na empresa em que eu trabalhava havia um cara que cismou que eu me chamava Marcelo. O pior é que aconteceu de uma vez estar conversando com ele, quando alguém chegou e me chamou de Gustavo. Como ele continuou me chamando de Marcelo depois desse dia, imagino que na hora ele deve ter pensado: "Putz, aquele imbecil está chamando o Marcelo de Gustavo, mas o Marcelo é gente boa e ficou sem graça de corrigir."

Aconteceu também da sogra de um amigo meu me chamar de Marcão. Marcão, que é um apelido para Marcos; ela não só trocou o meu nome, como também me deu um apelido!

Pra finalizar, outro exemplo foi o de uma colega de trabalho que só me chamava de Rodrigo, não importasse o quanto eu a corrigisse:

- Rodrigo, o sistema está muito lento!
- Gustavo.
- Você está no telefone com o Gustavo agora?
- Não. Meu nome É Gustavo.
- Ah, desculpa. Achei que você estava no telefone com o Gustavo.
- Não, sô! Meu nome é Gustavo, entendeu?!
- Rodrigo, o usuário está comigo na linha, reclamando que o sistema está muito lento! Assim não dá!
- Assim não dá, realmente...

Nenhum comentário: