12 de março de 2009

Dicionário ambulante

- E aí Alfredo, como foi a festa?
- Foi show. Muita mulher gata.
- Mulher gato? Era festa de fantasia?
- Festa à fantasia? Não... Eu falei que tinha muita mulher bonita na festa.
- Ah, claro. Não ouvi direito. Conta uma faceta da festa aí...
- Faceta?
- É. Uma peripépsia.
- Hã? Ah! Entendi... Você quer saber de alguma façanha?
- Faceta, façanha, peripépsia... É tudo simômimo.
- "Simômimo"?
- Quando uma palavra é igual a outra, sabe?
- Sei, Cesário. É que eu estou com um pouco de dificuldade para entender algumas palavras "diferentes" que você está usando, se é que você me entende.
- Claro que entendo. Eu gosto de falar difícil mesmo. Na minha época de colégio eu tive uma professora que falava que era "melhor falar difícil do que falar palavras de baixo escalão".
- Sei.
- Eu odeio gente que fala palavrão.
- Imagino.
- Também odeio gente que escreve errado.
- É mesmo?
- Outro dia eu estava conversando com uma garota no MSN... Uma precendente minha.
- "Precendente"?
- É. Interessada em mim, entendeu?
- Entendi. E aí?
- E aí que ela escrevia tudo errado, cheio de "vc" pra lá, "pq" pra cá... Eu não entendia nada!
- São abreviações, Cesário.
- Eu sei, tolinho. Você pensa que eu não procurei no Gógle?
- Então você conseguiu entender o que ela escrevia?
- Consegui.
- Já rolou alguma coisa entre vocês?
- Não!
- Por quê?
- Porque eu não sou um homem fácil. Você sabe: homem tem que se fazer de difícil pra mulher ficar gramada nele.
- Claro.
- Mas eu também tomei antipatia dela.
- O que foi que ela fez?
- Em primeiro lugar, ela usou uma saia xadreza hor-ro-ro-sa! Parecia roupa de festa junina!
- Desde quando você entende de moda feminina, Cesário?
- Eu entendo tudo de moda!
- Se você está dizendo... O que mais ela fez, pra conquistar sua antipatia?
- No meio da conversa ela usou a palavra "mendigo"!
- O que tem de grave nisso?
- Todo mundo sabe que o certo é mindingo!
- Tem certeza?
- Tenho! E se tem uma coisa que eu presto atenção, é no português correto!
- Eu nunca imaginaria uma coisa dessas.
- Pois é, e como eu também odeio gente que fala errado, tomei antipatia dela!
- Por curiosidade, há quanto tempo você está solteiro?
- Uns 34 anos...
- Desde que você nasceu, então?
- Praticamente.
- Ela era bonita, pelo menos?
- Como diria você, uma "mulher gato", mas comigo não tem chance, se falar errado!
- Então tá.

Nenhum comentário: