7 de maio de 2009

Dentistas

O personagem de Steve Martin no filme "A Pequena Loja dos Horrores" não me deixa mentir: dentistas são sádicos. Afinal, que tipo de pessoa escolhe como profissão aquela cuja atividade principal consistia em extrair os dentes de outras pessoas? Pergunto mais: como não considerar sádicos aqueles que, como boxeadores e praticantes de outras modalidades de luta, ganham para deixar alguém banguela?

Agora pense no ferramental dos marceneiros. Quem, além deles, trabalha com alicates, brocas e lixas? Os dentistas. Quais profissionais, além dos torturadores, lidam com instrumentos que provavelmente foram utilizados pela Inquisição? Quem, além de um interrogador, coloca uma luz forte em seus olhos sem sentir o menor remorso? Desnecessário responder.

A maior prova do sadismo dos dentistas é a cara de pau com a qual falam, quando você não tem a menor condição de dizer nada:

- Se doer, você me fala.

Como assim? Será que eles se esqueceram de que não dá para falar com a boca cheia de algodão e um sugador pendurado na bochecha? Bastava perceberem que seus pacientes se contorcem de dor toda vez que uma região sensível é atingida, o que não seria tão divertido quanto conversar com eles quando estão impossibilitados de responder:

- E o seu irmão, como está?
- Mhdh prh lhvrhhh...
- Mudou pra Lavras, é?
- Fh...
- Fala para ele dar uma passada aqui, quando estiver em BH.
- Phdhxhr..

O mais bizarro é que os dentistas conseguem entender os grunhidos. Isso até me faz imaginar se existe alguma disciplina do curso de odontologia na qual são ensinadas técnicas para se comunicar com pacientes nessa situação, tipo:

  • Deduzindo consoantes omitidas
  • Método de identificação de vogais trocadas por "aaahhh"
  • Compreendendo palavras balbuciadas por pacientes cuja língua está imobilizada pelo espelhinho

Das especialidades da odontologia, a que mais possui profissionais cujo índice de maldade se aproxima do nível 22 é a ortodontia. Quem usa ou já usou aparelho ortodôntico sabe: todo mês (ou em períodos menores) você deve ir ao seu dentista para uma manutenção no aparelho, o que lhe proporcionará alguns dias com os dentes doendo, incapacitando-o de comer alimentos mais consistentes por consequência. O pior, entretanto, não é a manutenção do aparelho. Dureza é a sua retirada, pois durante o procedimento, tem-se a impressão de que seus dentes também serão extraídos, dada a força que o dentista precisa aplicar em alguns casos. Dá um desespero fodido, um medão de ficar banguela, mas isso é assunto para outro post, já que esse se estendeu demais.

Nenhum comentário: