16 de maio de 2011

Descobrindo BH - Restaurante do Porto

De volta à ativa, resolvi falar de algo que não é unanimidade aqui em casa: bacalhau.

Eu sou uma apaixonada por peixe. Já o Gu não aguenta nem o cheiro. No entanto, era sexta-feira santa e, embora, nós não sigamos a tradição, fomos comer um peixinho básico com os adoráveis amigos Karla, Gui e Dilu.

Você deve estar se perguntando: como o Gu foi se ele não gosta de peixe? É que bacalhau ele até encara se não tiver mais nada para comer. E foi isso que aconteceu.

O lugar escolhido foi o Restaurante do Porto, tradicionalíssimo quando se fala em bacalhau. O restaurante foi inaugurado em 1969 e se especializou no bacalhau português. Por causa disso, o local lota nesses dias em que não se costuma comer carne que não seja a de peixe, e os clientes chegam a esperar muito tempo na fila para degustar um delicioso bacalhau.

Como sabíamos disso, tratamos de chegar cedo. Ainda havia algumas mesas vazias e nos acomodamos. Foi aí que eu percebi que nem sempre tradição combina com bom atendimento e qualidade...

Logo ao chegar, nós vimos o desespero do garçom para que fôssemos logo pedindo. Mas não estávamos com pressa. O gostoso de um almoço assim, com amigos e tal, é curtir, sem pressa de comer logo que se chega ao local.

Só que o garçom insistia em passar na nossa mesa e perguntar se já havíamos nos decidido pelo prato. Os olhares de "pede logo filho da mãe" eram constantes até por gente que parecia ser dono do local. Mas nos mantivemos firmes no propósito de fazer as coisas no nosso jeito.

Pedimos as bebidas e depois de um tempo começamos a sentir um cheiro ruim. Achamos que era pelo fato de o restaurante ser numa praça, o que poderia esconder algum lixo esquecido.

Continuamos a papear e rir da Dilu, que estava particularmente engraçada nesse dia, e finalmente resolvemos pedir os pratos. Como nesse dia eles só servem peixe (a casa conta com outros tipos de carnes nos dias normais), o Gu não teve muita opção, e optamos pelo Bacalhau Gomes de Sá.

Enquanto aguardávamos, vimos a mesa ao lado reclamar alguma coisa com o garçom. Pelo que pudemos entender, a moça disse que o bacalhau que ela havia pedido (que não era o mesmo do nosso), estava estragado.

Pouco depois nosso prato chegou. O Bacalhau Gomes de Sá serve muito bem duas pessoas e estava gostoso, mas não entendi o motivo do lugar fazer tanto sucesso. Havia muitos anos que eu não ia ao Restaurante do Porto e confesso que achei a comida bem normalzinha. Em casa a gente faz melhor.

Pois bem, de repente o cheiro ruim volta com tudo e vemos uma outra mesa reclamando do bacalhau. Mais um bacalhau estragado que mal chegou à mesa e já foi devolvido à cozinha. Mais tarde, os dois senhores que haviam pedido este segundo prato estragado me confidenciaram que o garçom disse que o peixe não estava estragado, e que em Portugal o bacalhau é assim. Então eu pergunto: em Portugal eles servem comida estragada? Realmente, Restaurante do Porto, isso é subestimar a inteligência dos seus clientes!!

Nós ficamos perplexos com o ocorrido. Como um local tradicional, que serve uma comida cara é capaz de fornecer algo estragado e ainda tratar seus clientes com tanto desdém?

Ainda bem que o nosso prato não veio estragado e que a companhia era de primeira qualidade, pois o local eu não recomendo e para lá nunca mais volto, já que o Restaurante do Porto estragou minha vontade de comer bacalhau.

Serviço:

Nenhum comentário: