24 de outubro de 2011

Descobrindo São Paulo - Cantina C... Que Sabe!


O dia havia começado bem: fomos até Cotia visitar o Templo Zu Lai e, depois de me encantar com o lugar, era hora de almoçar. Como nosso passeio por São Paulo estava chegando ao fim, fomos a uma cantina italiana no Bixiga, para finalizar em grande estilo.

A escolha pela Cantina C... Que Sabe! foi ao acaso. Sabíamos que queríamos uma boa comida italiana, mas não tínhamos referência de lugar. E no bairro do Bixiga existem várias. Por sorte escolhemos um lugar que vai ficar para sempre registrado na minha memória como um dos melhores que conheci!

Chegamos à cantina por volta das 12h30 e o lugar estava lotado! O maître anotou o nome do Gu e disse que a próxima mesa seria a nossa. Enquanto esperávamos, fiquei olhando os inúmeros quadros do chef Bruno Stippe com diversos artistas brasileiros. Em frente à cantina fica um teatro, e imagino que depois dos espetáculos é pra lá que os atores vão.


A espera foi curta, e logo fomos chamados à nossa mesa. Fiquei encantada com a decoração do lugar, com a alegria dos garçons e com a bagunça gostosa que era feita enquanto os músicos se apresentavam. Eu achei que estava na Itália (esta é a segunda vez que isso acontece. Imagina quando eu for para a Itália de verdade!).

A história da família fundadora da cantina é linda e tudo começou em 1931, quando o avô do chef Bruno Stippe veio da Itália com a esposa tentar a sorte no Brasil. Ao longo dos anos foram se estabelecendo, ganhando prêmios importantes e a simpatia das pessoas que sempre queriam comer uma boa comida italiana. Eles tiveram diversas casas, mas a Cantina C... Que Sabe! surgiu mesmo em 1982.

Nessa época quem cuidava da cantina era o pai do Bruno, o chef Roberto Gordo, bi-campeão dos festivais de espaguete de São Paulo, e a mãe, responsável pela parte administrativa. Hoje o Bruno, que faz questão de ir em cada mesa conversar com os clientes, é o chef executivo e conta com a ajuda de outros membros da família para continuar a tradição, inclusive do simpático filho Micchelli Bruno. Este, apesar de ser bem novo, atende e cuida da casa como se fosse gente grande.


Pois bem, pedimos nossa bebidas e nos foi servido o couvert, com sardela, pasta de beringela e torradas italianas. Nossa, a sardela estava indecente de tão boa! Vou falar para vocês que é uma das coisas mais gostosas do mundo que eu já comi! Raspei o prato! Em seguida veio uma fatia de beringela à parmegiana, que também estava deliciosa.

Dessa vez estávamos em três pessoas: eu, o Gu e a nossa querida anfitriã, Berenice. Para o prato principal, eu e o Gu pedimos a famosa Lasagna C... Que Sabe!, que existe desde 1945 e foi criada pela avó Mamma Rosa. Já a Berê pediu uma massa verde ao molho de vinho.

Enquanto esperávamos os pratos, os músicos chegaram ao nosso salão para tocar a tarantela e uma verdadeira festa aconteceu. Bandejas jogadas ao chão, pessoas cantando, dançando e batendo palmas faziam uma bagunça boa! Nós três entramos no clima e nos divertimos até. Eu não queria ir mais embora! É coisa de italiano mesmo: você se sente acolhido e a alegria é contagiante.


Quando os pratos chegam, outra surpresa. Foi a melhor lasanha que eu já comi. Serve muito bem dua pessoas e o molho é estupendo! O Gu, que é bem chato com lasanha, também adorou, e a Berê devorou o prato dela.

Infelizmente não podíamos demorar muito porque voltaríamos para BH ainda no domingo, e saímos sem experimentar as sobremesas. Mas a Cantina C... Que Sabe! com certeza entrou na lista dos lugares mais legais do mundo para ir, e voltaremos lá sem dúvida nenhuma quando estivermos em São Paulo.

Fechamos nosso tour nerd/gastronômico em altíssimo nível, e esse dia ficará para sempre na minha memória como um dos melhores que já tive.

Serviço:

Nenhum comentário: