16 de maio de 2013

Descobrindo Paris - Église Saint-Sulpice

Casal Geek Eurotour 2013 - Descobrindo Paris - Église Saint-Sulpice
Quando montamos nosso roteiro, levamos em conta uma coisa que gostamos de fazer, que é caminhar bastante pelas cidades que conhecemos. Nada de alugar carro para rodar por aí; nosso negócio é gastar sola de tênis como um casal de andarilhos. Assim, foi em meio à chuva que saímos do museu, e de lá partimos a pé para próxima parada do nosso roteiro, a Église Saint-Sulpice.

Famosa por aparecer (com algumas licenças poéticas) no livro O Código da Vinci, a Saint-Sulpice é uma igreja imponente e soturna, que abriga alguns afrescos de Delacroix e um dos maiores órgãos do mundo, reconstruído em 1862. Entretanto, uma das suas características mais curiosas é possuir um gnômon projetado e construído pelo astrônomo Henry Sully a pedido de Jean-Baptiste Languet de Gergy para determinar os equinócios e, com isso, a Páscoa.

Église Saint-Sulpice
Já que não havia muito mais do que isso para ver, logo saímos para almoçar. Como ainda estava chovendo, atravessamos rapidamente a Place Saint-Sulpice sem dar muita atenção à suntuosa fonte construída entre 1843 e 1848 por Louis Visconti, o arquiteto responsável por projetar o túmulo de Napoleão.

O restaurante no qual havíamos planejado almoçar era o Villa Medici Da Napoli, localizado a pouco mais de 10 minutos de caminhada da igreja. Só que ele fecharia às 14h30, segundo seu site, o que não nos dava muita chance de errar o caminho, que foi o que aconteceu...

Assim, o jeito foi improvisar. Para nossa sorte, logo encontramos um restaurante de cozinha italiana, o pequeno Le Cherche Midi. Muitas mesas estavam ocupadas, mas rapidamente fomos acomodados e já fazíamos - in english, s'il vous plaît - os nossos pedidos. Para evitar uma surpresa como a da noite anterior, ambos pedimos uma coisa básica: o ravioli de queijo de cabra ao sugo.

Ravioli de Queijo de Cabra ao SugoRavioli de Queijo de Cabra ao Sugo

Rapidamente os pratos foram servidos, acompanhados do tradicional cestinho de pão e coisa e tal. A comida, como diria a Fernanda, era honesta. Só achei que exageraram um pouco na manteiga, na hora de preparar o ravioli, mas nada que atrapalhasse.

Não lembro se a casa não aceitava cartão, mas o fato é que pagamos a conta em dinheiro. De qualquer forma, a escolha aleatória desta vez tinha valido a pena, e o Cherche Midi é um restaurante que eu recomendo, principalmente se você estiver em boa companhia, perdido pelas ruas de Paris em um início de tarde chuvoso...

- Ouvindo: The Sea and Cake - Harps

Um comentário:

Eliany disse...

Ai que vontade de estar lá, também!!!!!!!!!! Essa chuvinha eu fazia questão de tomar....