23 de maio de 2013

Descobrindo Paris - Museé du Louvre

Casal Geek Eurotour 2013 - Descobrindo Paris - Museé du Louvre
Como o Gu comentou no post anterior, logo no primeiro dia passamos em frente ao Musée du Louvre, e ali já me encantei.

Na manhã seguinte, antes de visitar o museu, resolvemos experimentar algo diferente: começar o dia em um café parisiense, o Le Lutèce, localizado no Bd Saint-Michel, pertinho do nosso hotel. Chegando lá, vimos que eles ofereciam algumas opções para o petit déjeuner, mas nós escolhemos a mais básica, com pão francês, croissant, café ou chocolate quente, suco de laranja, manteiga e geleia.

Café da Manhã no Le LutèceCafé da Manhã no Le Lutèce

Gostamos muito da experiência mas, como tudo na França, não adianta ter pressa. Você só é atendido quando o garçon - que lá não deve ser chamado por esse nome, por favor - quiser, e eles também não têm pressa para trazer a conta e/ou receber. Portanto, acordem mais cedo se tiverem que chegar rápido em algum lugar.

Do café voltamos ao hotel rapidinho, e de lá partimos para o museu, que eu estava doida para conhecer. A região do Louvre é bastante movimentada, com ambulantes vendendo réplicas da Torre Eiffel, e muita gente (muita gente mesmo!) tirando fotos, excitada com a vista famosa das pirâmides de vidro.

O museu possui várias entradas, sendo a principal, por baixo da pirâmide de vidro, a mais concorrida. Se quiser evitar filas, opte por entrar pelo Carrousel du Louvre, um centro comercial que fica embaixo do museu e pode ser acessado pelo Jardin des Tuileries, em uma entrada próxima ao Arc de Triomphe du Carrousel.

Louvre - Pirâmide de Vidro
O Palais du Louvre foi originalmente uma fortaleza erguida no século XII, e suas fundações podem ser vistas até hoje no subsolo do museu. No século XIV o palácio foi transformado em residência real, e assim permaneceu até 1682, quando Luís XIV foi morar no Château de Versailles. Entretanto, foi durante a Revolução Francesa que o palácio foi transformado oficialmente em museu, e sua inauguração se deu em 10 de Agosto de 1793, o aniversário do fim da monarquia.

Atualmente o museu conta com uma coleção magnífica, com mais de 380.000 objetos, e mantém expostas 35.000 obras de arte divididas em oito departamentos: Antiguidades Egípcias, Antiguidades do Oriente Próximo, Artes Gregas, Etruscas e Romanas, Arte Islâmica, Esculturas, Artes Decorativas, Pinturas e Gravuras e Desenhos.

Louvre - Fundações do Palácio Original
Assim que passamos pela pirâmide Invertida e entramos no hall do museu eu me assustei com o tamanho do lugar. Tem um mundo embaixo da pirâmide de vidro! É muita gente circulando, mas nada que atrapalhe você de caminhar tranquilamente. Só é bom ficar esperto com possíveis batedores de carteiras, mas os lugares mais propensos às atividades destes grupos são bem sinalizados.

Das várias alas do Musée du Louvre, escolhemos a Richelieu, apresentamos nosso Paris Museum Pass e lá fomos nós...

Logo em um dos primeiros salões que entramos eu quase perdi o rumo. Com esculturas enormes de mármore e bronze, banhadas pela luz do dia que entrava pelo teto de vidro, o lugar era de uma beleza que eu nunca vi igual. Simplesmente de tirar o fôlego!

Dali passeamos por galerias e mais galerias de belíssimas esculturas, visitamos alas repletas de artefatos arqueológicos (as prediletos do Gu) e nos maravilhamos com as belíssimas pinturas. É claro que não deixamos de fazer uma parada obrigatória em frente à Monalisa, mas nos espantou mais a falta de atenção que a multidão dava à gigantesca obra de Paolo Veronese, a impressionante As Bodas de Caná, localizada em frente à pintura de Da Vinci.

Louvre - Cour Marly
Já passava das 16h quando deixamos as galerias do Louvre para “almoçar”. Acabamos lanchando no Restaurants du Monde, a caótica praça de alimentação do Carrousel du Louvre, e depois ficamos perambulando pelas muitas lojas do shopping subterrâneo.

Saímos de lá já no início da noite e, apesar do cansaço, fomos caminhando em direção ao hotel, pois a noite estava agradável, com um friozinho gostoso. Como somos insistentes, resolvemos passar novamente em frente ao Happy Days Dinner, na Rue Francisque Gay. Quem sabe daquela vez conseguiríamos uma mesa livre? Pra nossa sorte o lugar já estava cheio, mas ainda havia algumas mesas vagas.

O Happy Days Dinner é uma lanchonete no estilo das lanchonetes americanas dos anos 50, com uma decoração bem colorida. O cardápio gira praticamente em torno de sanduíches, e nós pedimos o Americano Burger, que não demoraram muito a chegar.

HD Diner - Americano BurgerAmericano Burger

Os sandubas estavam muito bons por sinal, e saímos de lá satisfeitos por termos tido um dia que nos alimentou não só o estômago, mas principalmente a alma.

- Ouvindo: St. Paul de Vence - On This Road

3 comentários:

rochagc_br disse...

Sempre bom rever fotos e nomes dessa cidade. Ótimo post! Vontade de voltar! :)

Eliany disse...

Que inveja!!!!!!!! Mas..... cadê a coragem de entrar em avião?

Celio de souza ribeiro junior disse...

ou paris é muito show .. dei uma passada la mais foi bem rapidinho quero voltar la para ficar alguns dias :)