27 de abril de 2016

365 Vidas - Castle Crashers


Quando falei de Super Meat Boy, esqueci de um detalhe: o embrião do jogo fez fama em 2008 no Newgrounds, um portal para jogos e animações feitas em Flash com uma comunidade bastante ativa, da qual Edmund McMillen, um dos criadores do jogo, faz parte. O que isso tem a ver com Castle Crashers? Explico…

Apesar de não ter sido desenvolvido pela mesma equipe, Super Meat Boy tem personagens que lembram um pouco o estilo visual de Alien Hominid, o primeiro jogo do Newgrounds a migrar para os consoles. E o que isso tem a ver com Castle Crashers? Alien Hominid é fruto da dupla formada por Tom Fulton – o criador do Newgrounds – e Dan Paladin, os fundadores da The Behemoth, a desenvolvedora de Castle Crashers.

Castle Crashers é um beat’em up de temática medieval, onde você controla um cavaleiro que se vê obrigado derrotar um feiticeiro que roubou um gigantesco cristal das mãos do rei. Para piorar, as quatro princesas são raptadas por goblins.

O jogo, como Alien Hominid, parece um desenho animado, pelo seu estilo cartunesco. O humor, característica frequente das produções publicadas no Newgrounds, também está presente, obviamente, mas eu joguei pouco e não tive, ainda, a oportunidade de de usar um pedaço de carne congelada como arma, por exemplo.

Como um bom beat’em up, o esquema é sair distribuindo porrada para tudo quanto é lado, encontrar o chefão, derrotá-lo e repetir o ciclo de pancadaria até chegar ao final. Diferente de um Golden Axe, por exemplo, Castle Crashers permite upgrades e combos.

O jogo, obviamente, pode ser jogado sozinho, mas esse é um gênero que fica bem mais divertido com outros jogadores, ainda mais em modo offline. Seja “de galera” ou “forever alone”, Castle Crashers é um que jogo que vou revisitar depois dessa epopeia.



Aviso: em função de merecidas férias, as resenhas terão uma pausa por aqui, mas os vídeos de gameplay continuarão a aparecer no YouTube. Assina lá: http://youtube.com/casalgeek

Nenhum comentário: