8 de maio de 2017

Descobrindo BH - Está Chovendo Hambúrguer 7

Antes de falar mais um pouco de Roma, vamos aos hambúrgueres:

Bocca Hamburgueria Gourmet

Está Chovendo Hambúrguer - Bocca Hamburgueria Gourmet

Imagine uma lanchonete de bairro que serve de tudo: hambúrguer, macarrão na chapa, açaí e o que mais der para incluir no cardápio… Vem, então, a onda de gourmetização, a lanchonete passa a ser chamada de hamburgueria, mas mantém o mesmo cardápio… eclético.

Não sei se este é o caso da Bocca Hamburgueria Gourmet, mas tenho a impressão de que a história da casa, aberta há quase 8 anos, vai bem por essa linha. Em seu cardápio, que tem macarrão na chapa, açaí e tudo mais que der para incluir, estão presentes 11 opções de hambúrgueres, sendo uma delas vegetariana, com - argh - carne de soja.

Estivemos, a convite de um amigo, na hamburgueria em pleno sábado de Carnaval, após um dia de batuques no Unidos da Estrela da Morte, o bloquinho mais nerd da galáxia. Como já estava meio tarde, escolhi uma opção mais leve, o Bocca Nervosa: pão australiano, hambúrguer de picanha de 160g, bacon, cream cheese, salada rica (alface, tomate, cenoura e coisa e tal), cebola, pimentão, picles e molho especial. A Fernanda, que também precisava repor as energias, pediu um combo com o Bocca Egg Bacon: pão com gergelim, hambúrguer, cheddar, ovo, bacon, salada rica e molho especial.

Apesar do pão australiano estar meio seco, o meu sanduíche estava muito - muito mesmo - saboroso. A quantidade de ingredientes e o excesso de informações que ela traz poderiam ter sido um problema, mas tudo combinou bem; até mesmo a pegada de churrasco, resultado das carnes serem grelhadas em um char boiler, deu para ser sentida. A Fernanda também gostou bastante do que pediu, mas seus elogios ficaram mesmo para o suco, o Bocca Vermelha: amora, framboesa e morango.

Por ficar fora das nossas rotas, voltar à Bocca Hamburgueria Gourmet é uma coisa que não faremos tão cedo, apesar de termos curtido bastante a experiência. O bom é que eles têm delivery e, provavelmente, atendem à nossa região.


Container Food Park

Está Chovendo Hambúrguer - Container Food Park

Inaugurado no final de 2016, o Container Food Park é um espaço gastronômico que oferece opções para quase todos os gostos. Gosta de pizza? Tem. Gosta de sushi? Tem. Gosta de hambúrguer? Claro que tem. Tem tudo isso e mais um pouco.

Mas como um lugar pode oferecer tanta variedade? Simples: arrume um terreno grande, de preferência um que já abrigou um posto de gasolina em tempos remotos na esquina da Av. do Contorno com a Rua Hermilo Alves, empilhe alguns contâineres recondicionados, transforme-os em cozinhas e você tem vários restaurantes em um único ambiente. Tipo uma praça de alimentação, mas nem tanto.

Visitamos o Container Food Park na segunda-feira de Carnaval, após o segundo - e mais divertido - dia do nosso bloquinho. Turma grande, cada um pediu uma coisa: pizza, espeto, milkshakes superfaturados... Eu, como não poderia deixar de ser, pedi um hambúrguer, o Container Burger: pão, blend de carnes, queijo cobocó, bacon, cebola caramelizada, maionese defumada, agrião, cebola roxa e catchup de goiaba.

Como o lugar estava cheio, o sanduíche demorou um pouco para sair, mas a espera foi relevada porque estava bem bom. Não compensou, entretanto, o quanto gastamos, pois nada que pedimos fez jus ao valores extorsivos.


James Burger

Está Chovendo Hambúrguer - James Burger

Apesar de já ter pouco mais de 4 anos de existência, confesso que nunca dava muita bola para o James Burger. A hamburgueria sempre aparecia como um lugar a visitar, mas o cardápio que eu encontrava - e ainda continuo encontrando - após uma rápida pesquisa no Google me parecia pouco inspirado.

Por uma sequência de eventos que envolvia, inclusive, a ausência de lugares desconhecidos a conferir, acabamos dando uma passada no James Burger e o resultado foi bem positivo.

Para começo de conversa, o atendimento foi de primeira. Pelo fato da Fernanda não comer muito, também foi uma vantagem a hamburgueria oferecer sanduíches para vários “tamanhos” de fome. Para terminar, o cardápio da loja era bem mais interessante que o antigão que se encontra na internet.

Das muitas opções, eu pedi um que, infelizmente, não lembro o nome e também não consigo encontrar, mas que era composto por pão australiano, um hambúrguer de costelinha bem bom, cebolas marinadas no barbecue, cheddar e alface. A Fernanda pediu um menor, o James Franco: hambúrguer de 120g no pão pequeno, catchup, alface americana, confit de tomate aromatizado com alecrim e muçarela.

Parafraseando a Fernanda, o hambúrguer de costelinha estava “indecente” de bom. Não era uma costelinha desfiada, como o Outback lançou há algum tempo; era hambúrguer de costelinha, com gosto de costelinha e um tempero bem bom. A Fernanda também curtiu o hambúrguer que pediu, mas comentou que da próxima vez ela quer provar algum que leve o molho especial da casa, que ela escolheu para acompanhar o sanduíche

Apesar de agora contarmos com a vantagem de ter uma unidade em nossa região, aberta no mesmo local onde funcionou o Two San, por força das circunstâncias, ainda não voltamos ao James Burger, mas aquele hambúrguer de costelinha, como diria um amigo meu, “não me sai da cabeça”.


Madero Steak House

Está Chovendo Hambúrguer - Madero Steak House

O melhor hambúrguer do mundo? Olhe novamente para a foto acima e diga com sinceridade: isso tem cara de melhor hambúrguer do mundo? Pois é esse o slogan, no mínimo, presunçoso da Madero: “The best burger in the world”.

Inaugurada em BH em outubro de 2016, se não me falha a memória, a Madero é uma rede de restaurantes fundada pelo chef Junior Durski em 2005. O cardápio, da sede em Curitiba ao restaurante em Miami, é virtualmente o mesmo: entradas, massas, carnes, hambúrgueres e coisa e tal, alguns em versão - ugh - fit

Depois de um saboroso, mas superfaturado, Schnitzel, que basicamente é um bife de lombo empanado em uma mistura de farinha de pão, salsinha e queijo parmesão, a Fernanda pediu um filé de tilápia e eu escolhi um Cheese Bacon Madero basicão: pão crocante assado - ah, tá - na hora, hambúrguer de 180g grelhado em fogo forte, alface, tomate, cebola assada, cheddar “especial” e maionese artesanal, acompanhado de fritas.

Tirando o fato de que serviram para a Fernanda apenas uma amostra de como seria o prato que ela pediu, de tão pequeno era o filé de tilápia, ainda mais quando comparado com o do Outback, o que eu posso dizer do meu hambúrguer é que ele… não tinha nada de especial. Não era um hambúrguer ruim, entenda bem, mas estava longe de ser, ao menos, memorável.

Nunca, em sã consciência, alguém poderia dizer que esse é o melhor hambúrguer do mundo, do mesmo jeito que ninguém, na posse das suas faculdades mentais, poderia dizer que o valor cobrado é justo, pois ali não se paga pelo que se leva. O trouxa aqui sabia que o título auto atribuído de “best burger in the world” não passava bullshit do pessoal de marketing, mas eu quis pagar - e paguei caro - para ver.

Já diria o corvo: “Nunca mais”!


QG 55

Está Chovendo Hambúrguer - QG 55

Já falei da House of Food antes, mas não custa lembrar: é um espaço gastronômico compartilhado, em que cada dia um chef diferente assume a cozinha, alguns com o objetivo de testar novas receitas, outros com o objetivo de prospectar público e coisa e tal.

Houve uma época em que toda terça-feira era dia de hambúrguer na House of Food, mas agora não há mais um dia específico. Muita gente, como o pessoal do The Taste e da Old Skull, já passou por lá, mas de todos acabamos conhecendo só os sandubas do QG 55.

Instalado em Contagem e, obviamente, bem fora da nossa jurisdição, o QG 55 foi fundado em 2015. Para o cardápio que levaram à House of Food, três opções de hambúrguer: o basicão E.U.A., o Grécia, com carne de frango, e o Vietnã, que eu e a Fernanda pedimos: pão de hambúrguer com gergelim misto, blend de boi e porco de 180g, muçarela, cebola caramelizada no shoyu, bacon artesanal, picles e salada, acompanhado de fritas e molho verde.

Apesar de não ser um hambúrguer memorável como o do Diogo Gazzinelli, ainda assim o Vietnã estava bem bom. Tão bom que recomendei ao meu irmão, que vive pelos lados de Contagem, a hamburgueria sem conhecê-la pessoalmente. Como ele foi lá e curtiu a experiência, fica a dica.


Savá

Está Chovendo Hambúrguer - Savá

Inaugurado há praticamente um mês, o Savá é um pub que, além das tradicionais cervejas e petiscos, serve hambúrgueres artesanais - o que também já virou tradição -ao som de muita música boa. Na trilha sonora, só para se ter uma ideia: Wilco, Jimi Hendrix e Rolling Stones, para citar alguns.

O pub está instalado em um pequeno - bem pequeno mesmo - espaço logo abaixo do tradicional La Traviata, e seu cardápio também é reduzido, com apenas 3 opções de hambúrgueres. O que chamou mais a nossa atenção foi o Savá Burger: pão de sal redondo, hambúrguer de 180g, queijo prato, cebola caramelizada e bacon artesanal. Como os sanduíches não vêm com acompanhamento, pedimos também uma porção de batatas rústicas com alho, alecrim e aioli de ervas.

Por termos chegado cedo, praticamente logo após a abertura do Savá, encontramos a casa vazia; a cozinha nem devia estar funcionando direito, mas nossos hambúrgueres não demoraram a sair. A carne, embora tivéssemos pedido ao ponto, veio um pouco vermelha demais para o meu gosto, mas estava bem boa, com tempero na medida certa. A Fernanda, que não curte hambúrguer no pão de sal, também gostou do sanduíche que, apesar de não ser dos mais inspirados, tem uma qualidade que te faz querer prová-lo novamente.


- Ouvindo: The Bats - Made Up in Blue

Nenhum comentário: