21 de outubro de 2020

Actual Play de Dominus Twin Peaks

Actual Play de Dominus Twin Peaks

Aproveitando a data em que Twin Peaks estrou na TV, há 30 anos, peguei uma boa xícara de café e, mesmo faltando uma fatia de torta de cereja, fui jogar uma partida solo do meu Dominus Twin Peaks.

Rolando na tabela de Arquétipos, tirei Médico e, em vez de colocar o tranquilo Dr. Hayward em ação, me pareceu mais interessante criar um personagem do zero. Assim nasceu o Dr. Thomas Collins, um médico que trabalha no Calhoun Memorial Hospital.

Trama: Uma pessoa foi sequestrada e você precisa interpretar um sonho estranho, senão alguém será preso de forma injusta.

Meu nome é Thomas Collins, tenho 47 anos e sou médico do Calhoun Memorial Hospital, em Twin Peaks.

Minha rotina é bem tranquila: quando não estou no hospital, estou em casa. Não há muito o que fazer em uma cidade pequena como Twin Peaks, se você não for do tipo que sai para beber à noite. Mas eu gosto daqui.

Normalmente eu durmo bem, mas na noite passada eu tive um sonho meio estranho… Por sorte já estava quase no início da manhã, pois não consegui mais pegar no sono novamente.

Nesse sonho estranho, eu estava em meu próprio quarto dormindo. De repente eu estava acordado, mas ainda deitado na cama, e junto a mim havia um homem muito alto. Ele disse para pensar nele como um amigo e falou algo sobre corujas, mas eu não lembro do resto.

Cena 1: RR Diner

Hoje foi um dia cansativo no hospital… Um funcionário da serraria chegou ferido por conta de um acidente com uma das máquinas, e nem tive tempo para pensar direito naquele estranho sonho. Quero só passar no RR Diner para uma fatia daquela torta de cereja da Norma e seguir para casa descansar um pouco…

Evento: Uma dança

Quando cheguei ao RR Diner, encontrei uma jovem dançando ao som da jukebox. Ah, como eu gostaria de voltar a ter essa idade e ser livre de preocupações como ela… Norma continua bonita e simpática como sempre; uma pena que eu não faça o seu tipo, mas ela também não faz o meu.

Talvez tenha sido o cheiro de café, mas resolvi comer a minha torta de cereja ali mesmo, em vez de levá-la para casa. Não faz mal um pouco de confraternização, e só assim se fica por dentro das fofocas locais, já que até hoje eu não estava sabendo que houvera um sequestro na cidade, e que a polícia foi rápida em encontrar o culpado.

A conversa e a música estavam agradáveis, mas eu precisava dormir um pouco para recuperar as energias de um dia tão agitado. Como estava muito cansado, ao chegar em casa acabei cochilando no sofá, e então o gigante apareceu novamente no meu sonho…

Parecia mais real do que antes, e desta vez ele pediu para eu não esquecer o que ele falaria: “Uma vida dupla não é motivo de condenação”. Será que toda aquela conversa no RR Diner afetou meu sono? Provavelmente foi isso, porque lembro que Heidi comentou que Fred Truax jurava não ter sequestrado ninguém, embora todas as pistas apontassem para ele, que tinha consigo um colar da vítima.

Cena 2: Twin Peaks High School

Antes de ir para o hospital eu preciso dar uma passada no colégio. Me pediram para falar com os alunos de marcenaria sobre os cuidados que precisam ter no manuseio do ferramental, para evitarem acidentes como o de ontem na serraria.

Estranho voltar ao colégio depois de tanto tempo, pois muito pouco mudou desde que eu me formei. Estar ali traz de volta muitas memórias, e parece que ainda ontem Fred Truax estava me dando uma surra no corredor…

Evento: Um velório

Pelo visto, não deu tempo de me avisarem e minha visita ao colégio foi em vão, já que minha palestra foi cancelada em função de um velório ao qual o professor de marcenaria teve que ir. Eu falei que poderia conversar com os alunos mesmo assim, mas o diretor achou melhor remarcar para outro dia.

Cena 3: Bosques

Com o resto da manhã livre, resolvi dar um passeio pelos bosques, já que nunca tenho tempo para isso.

Personagem: Morador da Cidade / Nadine Hurley

Passeando pelos bosques, encontrei Nadine Hurley, que também frequentou o colégio na mesma época que eu. Ela era uma pessoa doce, mas ficou meio agressiva desde que perdeu o olho. Achei que ela não se lembraria de mim, mas puxou conversa assim me viu.

Comentamos sobre a prisão de Fred Truax e, embora Big Ed tenha contado para ela o mesmo que ouvi — de que Fred alegava inocência —, ela não acreditava, porque conhecia muito bem a índole do madeireiro.

Eu queria concordar com as convicções de Nadine, mas algo — talvez o sonho — me faz acreditar em Fred. Será que eu estou começando a ficar louco por acreditar numa coisa que ouvi em um sonho? Esse pensamento não me saiu da cabeça pelo resto da caminhada, e acabei por marcar um horário com o Dr. Jacoby na próxima semana.

Espero que o gigante me deixe dormir até lá…

Nenhum comentário: