31 de outubro de 2020

Actual Play de Perdido nas Profundezas

Actual Play de Perdido nas Profundezas
"Eles tomaram a ponte e o segundo salão. Nós obstruímos os portões, mas não podemos segurá-los por muito tempo. O chão treme. Tambores. Tambores nas profundezas. Não podemos escapar. Uma sombra se move nas trevas. Não podemos escapar. Eles estão vindo!"

Escrito por Diogo Nogueira, Perdido nas Profundezas é um RPG Solo de horror e sobrevivência inspirado na história dos anões que tentaram recolonizar Moria. O jogo baseia-se no sistema Wretched & Alone, desenvolvido por Chris Bissette para seu RPG The Wretched.

Actual Play de Perdido nas Profundezas

Embora seja virtualmente impossível ter uma partida de Perdido nas Profundezas igual à outra, aí vai o meu actual play com direito a muitos spoilers:

Dia 187 desde a nossa chegada ao Reino Sob a Montanha Mãe. Agora eu, Hadok Stormhide, sou o último sobrevivente do nosso bando. Todos os meus companheiros morreram, vítimas das fatalidades do antigo mal que nós acidentalmente despertamos em nossa tola busca pelo tesouro secreto deixado pelos nossos ancestrais. Agora o Mal nas Sombras e seus servos estão atrás de mim,cada vez mais perto. Eu preciso encontrar as escadas que me levarão para fora, mas não tenho ideia de onde elas estão. Eu ainda tenho água e rações para poucos dias. Espero que eu consiga.

Dia 188 desde a nossa chegada ao Reino Sob a Montanha Mãe. Eu continuo a vagar pelos salões procurando uma saída…

9♦️ + Bloco retirado da torre: Explorando uma região que eu não me lembrava de ter explorado antes, encontrei os restos de uma criatura terrível que não consegui identificar, de tão avançado seu estado de decomposição. Não sei se foi a visão horrenda ou o cheiro de morte e podridão, mas aquilo me revirou o estômago de uma forma que eu não consegui segurar.

2♣️: Ao menos, quando deixei aquele aposento, acabei em um corredor decorado com um belo mosaico que retratava o mito de como Dworgrurum, o primeiro anão, foi criado a partir da rocha da Montanha Mãe.

3♣️: Seguindo o corredor, terminei em uma sala onde encontrei o Diário de Orgad. Em sua última anotação, ele citava a luta com a aberração que deixou apodrecendo no aposento anterior, e terminava o registro falando que estava muito ferido, mas que precisava continuar.

4♣️: O diário de Orgad, a lembrança dos meus familiares e amigos deixados em casa… tudo isso pesa demais sobre o meu peito agora. Queria estar com eles, mas espero que não venham me buscar. Essa, inclusive, seria minha última mensagem para eles: não venham para cá. Aqui não existe mais a glória dos anões; aqui só existe morte e destruição.

Dia 189 desde a nossa chegada ao Reino Sob a Montanha Mãe. Eu continuo a vagar pelos salões procurando uma saída…

5♣️: Não sei se foi porque passei a noite toda naquele quarto onde encontrei o diário de Orgad, mas acordei de sobressalto com um sonho onde revivi os últimos momentos com meus companheiros, quando o teto desabou e separou nosso grupo: Kargack teve uma morte rápida, mas Brathug não teve a mesma sorte e ficou bem ferido. Fiquei com ele até seu último suspiro, relembrando o passado que tentamos restaurar em vão. Será que alguém sobreviveu?

9♥️ + Bloco retirado da torre: Apesar do sobressalto causado pelo sonho, foi bom ter acordado, pois ouvi o som de passos se aproximando bem perto. Não consegui ver ninguém, mas ele está perto, eu sei.

4♠️ + Bloco retirado da torre: Eu consigo ouvi-lo; eu escuto seus sussurros… Ele quer que eu desça mais… Lá estão as maiores riquezas dos anões! Lá está o tesouro secreto e ele o encontrou! Ele está me chamando…

Dia 190 desde a nossa chegada ao Reino Sob a Montanha Mãe. Eu continuo a vagar pelos salões procurando uma saída…

Q♥️ + Bloco retirado da torre: Seguindo a voz que me chamava para o tesouro secreto, acabei em uma sala sem saída. Quando tentei voltar, a porta se fechou repentinamente, impedindo minha saída! Passei horas tentando abrir a porta, buscando uma saída até encontrar uma alavanca escondida atrás de um tijolo falso. Vitória! Finalmente eu estava livre!

8♦️ + Bloco retirado da torre:Puxei a alavanca e o piso se abriu sob meus pés, colocando-me em queda livre! Caí sobre os escombros e acho que quebrei a perna. Alguém tentou me matar, mas preciso seguir…

Dia 191 desde a nossa chegada ao Reino Sob a Montanha Mãe. Eu continuo a vagar pelos salões procurando uma saída…

10♣️: Bem que Gikdroul nos alertou do pesadelo que teve sobre um demônio vivendo na montanha, mas não quisemos acreditar… Melhor acreditar na promessa de um tesouro secreto do que no terror de um pesadelo, não é? Antes eu tivesse acreditado no louco Gikdroul.

7♦️ + Bloco retirado da torre: Minha perna ferida reduziu meu ritmo e não consigo mais seguir por hoje. Estou muito cansado e ferido, e preciso me esconder para descansar, pois ontem alguém tentou me matar. O Mal nas Sombras está próximo, eu consigo sentir…

Dia 192 desde a nossa chegada ao Reino Sob a Montanha Mãe. Eu continuo a vagar pelos salões procurando uma saída…

5♦️ + Bloco retirado da torre: Parece que um fungo estranho e nocivo está tomando os salões. Estou ferido, fraco e não quero mais continuar… Quem será que tentou me matar? Será que algum dos meus companheiros ainda está vivo? Será que ele quer o tesouro só para si?

Dia 193 desde a nossa chegada ao Reino Sob a Montanha Mãe. Eu continuo a vagar pelos salões procurando uma saída…

7♦️ + Bloco retirado da torre

Torre desabou!

O corredor atrás de Hadrok começa a desabar, e ele acaba soterrado porque não conseguiu correr com a perna quebrada.

= FIM =

Nenhum comentário: