2 de maio de 2023

Cavernas & Catacumbas: Um dungeon crawler solo

Cavernas & Catacumbas: Um dungeon crawler solo

Cavernas & Catacumbas é um jogo de exploração de masmorras no qual você se aventurará em lugares há muito esquecidos, povoados por criaturas fantásticas e cheios de tesouros e armadilhas perigosas.

Este jogo é baseado no Advanced Aventuras Heróicas (Solo), minha versão print-and-play e expandida do Aventuras Heróicas, um jogo de tabuleiro publicado no Brasil em 1991 e fortemente inspirado no HeroQuest.

Embora derivado de um jogo de tabuleiro, Cavernas & Catacumbas é um jogo para ser jogado apenas com lápis, papel e alguns dados. Na verdade, a principal razão pela qual este jogo existe é tornar a experiência daqueles antigos dungeon crawlers portátil, jogável solo e, principalmente, acessível.

Como não há necessidade de um tabuleiro, não há regras para a movimentação e posicionamento dos personagens. Assim, o jogo se concentra apenas em explorar uma masmorra, lutar contra inimigos e coletar tesouros.

Cavernas & Catacumbas está disponível no itch.io e DriveThruRPG, ou — em português — no Bazar Verde.

Review

- Ouvindo: Surf Rock Is Dead - Equinox

27 de novembro de 2022

Impærium: O apocalipse dos Jedi

Impærium: O apocalipse dos Jedi

Escrito por Caio Romero e com design mörk-borguesco de Raul Rinaldi, Infærnum é um RPG brutal que se passa nos últimos dias de um mundo condenado.

O apocalipse de Infærnum não é o bíblico, mas as referências estão lá: uma horda de caídos – seres outrora angelicais – que se manifesta no mundo e a presença de quatro cavaleiros apocalípticos. O cenário não é fechado, mas a história a ser contada deve girar em torno de uma profecia sobre o fim de tudo, seja ela verdadeira ou não.

Embora não seja um sistema genérico, Infærnum conta com uma mecânica que “pede” para ser utilizada fora do contexto do jogo: role 3d6 quando quiser executar uma ação. Caso o resultado seja 666, sua personagem morre. Simples assim.

Como sou um fã declarado de Star Wars, ao assistir à excelente – embora um pouco arrastada – Andor, me veio a ideia de adaptar o contexto da consolidação do Império para as bases do Infærnum, e o resultado é Impærium, um jogo sobre o apocalipse dos Jedi.

O download de Impærium pode ser feito no Bazar Verde. A edição definitiva de Infærnum já está em pré-campanha no Catarse, mas a versão fast play também pode ser encontrada no Bazar Verde.

- Ouvindo: Altın Gün - Yüce Dağ Başında

18 de novembro de 2022

TWERPS: Um RPG minimalista escola véia

TWERPS - Um sistema minimalista escola véia

Escrito por Jeff e Amanda Dee, TWERPS (The World Easiest Role Playing System) é um sistema de RPG minimalista e genérico com uma pegada levemente humorística, a começar pelo título, que parodia – sem nenhuma cerimônia – o GURPS.

A primeira versão publicada em 1987 tinha apenas 6 páginas, das quais 1/3 era ocupada pela aventura introdutória Watery Deeps. A edição da Devir, publicada em Pindorama em 1993, tinha 10 páginas a mais que a edição original da Reindeer Games, e seu conteúdo estva dividido em 6 seções:

  • Introdução, com as tradicionais explicações sobre o que é RPG e tudo mais relacionado ao assunto;
  • Criação de Personagens, que descrevia profissões, raças e como determinar o único atributo dos personagens;
  • O Sistema de Combate, que trazia as regras de movimentação, utilização de armas e armaduras, dano e outros detalhes um pouco excessivos para um sistema que se pretende simples;
  • Como Fazer Tudo, que descrevia a mecânica de testes genéricos e demais regras como cura, reação de NPCs, entre outras;
  • Aventuras, que trazia a regra de evolução de personagens, quatro ideias para aventuras, uma lista de NPCs e a descrição de dois cenários – um deles inspirado em He-Man – com suas respectivas regras e ajustes;
  • Apêndice, com tabelas de equipamentos, armas, armaduras e veículos.

Além do livreto original, a edição da Devir trazia ainda dois cartões de tokens de personagens, veículos e NPCs, quatro mapas (duas masmorras, uma espaçonave e uma taverna), o escudo do mestre e o inusitado dado de 20 faces numeradas de 1 a 10 duas vezes, para que ele funcione como um tradicional d10.

A arte do miolo, como na versão original, era do próprio Jeff Dee, mas em um estilo mais cartunesco e bem diferente do que ele fez para a TSR. A capa, os mapas e os tokens da edição brasileira, entretanto, foram ilustrados pelo Marcatti, cujo traço se encaixa perfeitamente na proposta humorística do sistema.

1 de novembro de 2022

Magic Crawl: Um hex crawl com cartas de Magic

Magic Crawl: Um hex crawl com cartas de Magic

Existem vários métodos solo para Magic: The Gathering. O jogo foi criado para o duelo entre dois ou mais jogadores, mas não é sempre que você tem (ou quer ter) alguém contra quem jogar.

Um dos métodos mais famosos talvez seja o Deep IQ, que simula um oponente através do uso de tabelas aleatórias; a variante Horda, por sua vez, coloca um ou mais jogadores contra um deck autônomo de zumbis (ou minotauros, esquilos, goblins e o que mais se puder imaginar); Siege the Castle é outro método no qual se enfrenta um deck automatizado, e é como eu disse no primeiro parágrafo: não faltam alternativas para jogos solo utilizando as cartas de Magic, sejam elas utilizando as regras originais ou não.

Mesmo com tantas opções disponíveis, eu queria uma que aproximasse o Magic do RPG, sem que as mecânicas originais do jogo fossem dispensadas, como é mais comum de se encontrar por aí. Pensando nisso, eu cheguei em um método que não é um RPG, propriamente dito, mas que se vale das mecânicas de hex crawling.

Nessa variante que eu chamei de Magic Crawl, você usa um deck para explorar um mapa gerado e povoado de forma aleatória com o uso de cartas de Magic: The Gathering.

O download do Magic Crawl pode ser feito no Bazar Verde ou, em inglês, no itch.io.

- Ouvindo: Fin del Mundo - La Noche

9 de junho de 2022

Little Town: Um RPG solo inspirado por Twin Peaks

Little Town: Um RPG solo inspirado por Twin Peaks
“All that we see in this world is based on someone's ideas. Some ideas are destructive, some are constructive. Some ideas can arrive in the form of a dream. I can say it again: Some ideas arrive in the form of a dream.”
– The Log Lady

Criada por David Lynch e Mark Frost, Twin Peaks foi uma série de TV cujas duas temporadas originais foram ao ar entre 1990 e 1991. Apesar da vida curta, a série influenciou inúmeros trabalhos, de video games a desenhos animados, passando por quadrinhos, filmes e, é claro, RPGs.

Eu sou um grande fã de Twin Peaks e atualmente jogo apenas RPGs Solo. Como 99% dos RPGs inspirados pela série focam apenas na modalidade coletiva, eu decidi escrever um jogo que poderia ser jogado solo, e o resultado é Little Town, que também funciona como uma tentativa de homenagear a criação de David Lynch e Mark Frost.

De forma resumida, Little Town é um PbtA solo que coloca o jogador na pele de alguém que está atrás da solução de um ou mais mistérios em uma pacata, mas peculiar, cidade do interior. Como na maioria dos RPGs Solo, o jogo traz muitas tabelas aleatórias e mecânicas para responder perguntas normalmente direcionadas aos mestres.

Do ponto de vista de mecânicas de jogo, Little Town foi influenciado por Paranormal Inc. e Brindlewood Bay, Dungeon World e Noir World, o obrigatório Mythic Game Master Emulator e os guias Monophobia: Rules Light Solo Roleplaying e The Solo Investigator’s Handbook, assim como o emulador de NPCs do Tiago Junges.

Outros jogos como Cybercidades e Synthwave do Tarcísio Lucas, Nômades do Marcelo Collar, Cthulhu Dark e até mesmo Fighting Fantasy (especialmente o Retorno à Montanha de Fogo) também garantiram boas inspirações, mas a pedra fundamental de Little Town foi meu primeiro jogo, uma adaptação de Twin Peaks para o DOMINUS, um sistema minimalista e sem mestre.

Little Town está disponível no itch.io e DriveThruRPG, onde uma versão fast play também pode ser encontrada.

Reviews e Actual Plays

- Ouvindo: Martin Courtney - Corncob