1 de novembro de 2017

Descobrindo o Rio: Cozinha Comuna e Pub Escondido, CA

Não é novidade para os três leitores deste blog que estivemos na cidade do Rio de Janeiro para conferir a última edição da Jedicon carioca. Como é de se imaginar, aproveitamos a viagem para caçar bons hambúrgueres na Cidade Maravilhosa; o tempo, infelizmente, foi curto, mas as descobertas valeram a pena:

Cozinha Comuna

Descobrindo o Rio: Cozinha Comuna
Smokey: pela foto não parece, mas é um hambúrguer bem bom

Instalada há 6 anos em um casarão no bairro de Botafogo, a Cozinha Comuna é o braço gastronômico de um grupo multidisciplinar que une também música e artes visuais.

A casa segue a filosofia de trabalhar com produtores locais e ingredientes de origem conhecida; as carnes, por exemplo, vêm de um pequeno produtor e os quatro blends criados para os hambúrgueres carregam, por conta da limitada produção, a ideia de aproveitar a maior quantidade de cortes possível.

Estivemos lá eu, a Fernanda, meu irmão e minha cunhada, e a escolha de todos foi o quase unânime Smokey: blend de costela, vazio, lagarto, peixinho e maminha temperado com tomilho, alho assado, bacon, páprica defumada, sal e fumaça em pó, servido no pão cemita - uma espécie de brioche mexicano - com queijo, alface americana, maionese de limão siciliano com hortelã e picles de cebola na cerveja stout.

Hambúrguer muito bom, que pretendemos repetir em uma próxima visita ao Rio. Só não podemos cometer, na próxima visita, o mesmo erro de chegar tarde, pois a casa fica bem cheia e com fila na porta.


13 de outubro de 2017

Descobrindo BH - Está Chovendo Hambúrguer 8

Bar do Convés

Está Chovendo Hambúrguer - Bar do Convés

Instalado no terraço de uma casa modernista dos anos 1950, o Bar do Convés entrou em atividade no início de 2016, quando foi inaugurado o GUAJA, um espaço de coworking ao qual o bar/hamburgueria está integrado.

No cardápio comandado pelo chef Pedro Mendes, sete opções de hambúrgueres, todos com nomes em homenagem a edifícios de Belo Horizonte; todos os sanduíches podem ser transformados em vegetarianos, com a substituição da carne por hambúrguer de berinjela ou grão de bico, e as opções de acompanhamento são batatas rústicas, mandioca ou polenta frita.

A Fernanda escolheu o Tinguá: pão de brioche com gergelim, hambúrguer de frango empanado, molho tártaro da casa, alface americana e lascas de parmesão; eu pedi o Balança Mas Não Cai: pão de mandioca e parmesão, blend de carnes, queijo gouda, cebola caramelizada no balsâmico, barbecue de cachaça e crisp de alho poró.

Apesar de saboroso, o sanduíche que escolhi não é memorável, daqueles que te faz querer voltar a um lugar para prová-lo novamente. É bom, mas uma próxima visita ao Bar do Convés - que tem um ambiente muito bacana, a propósito - pedirá uma escolha diferente, como o sanduíche bacanudo que a Fernanda aprovou bastante.


8 de agosto de 2017

Jedicon Minas Gerais 2017

Jedicon Minas Gerais 2017

Há exatos 8 anos, nessa mesma galáxia, o Conselho Jedi de Minas Gerais realizava sua primeira Jedicon, um evento que marcou também os 10 anos de existência do fã-clube.

No último final de semana a Jedicon mineira chegou à sua quinta edição estreando em um novo local e com um formato ligeiramente diferente, mas com o mesmo carisma de sempre.

O evento durou dois dias e ocupou parte do estacionamento superior do Boulevard Shopping. A extensa programação contou com curtos, mas interessantíssimos, painéis onde foram abordados temas dos mais diversos relacionados a Star Wars; como convidados, o CJMG trouxe o crítico de cinema Pablo Villaça, o ator Fernando Caruso, dublador do Agente Kallus na animação Star Wars Rebels e o grupo de humor Os Três Elementos.

11 de julho de 2017

Jedicon Rio de Janeiro 2017

Jedicon Rio de Janeiro 2017

Aconteceu no último final de semana a edição carioca da Jedicon, convenção destinada aos fãs de Star Wars organizada pelos amigos do Conselho Jedi do Rio de Janeiro (CJRJ), fã-clube que completa 20 anos de existência no próximo dia 24 de Agosto.

A Jedicon ocupou o centro de convenções e exposições do Windsor Barra Hotel e as atrações dividiram-se entre três espaços: o Auditório George Lucas, a sala o Auditório Timothy Zahn e a Zona Kids/Padawans. O grande salão do centro de convenções foi ocupado por uma boa variedade de expositores, que iam de uma tattoo shop às tradicionais lojas de tranqueiras licenciadas (ou não) que os fãs adoram acumular colecionar.

19 de maio de 2017

Press Start - Thimbleweed Park

Press Start - Thimbleweed Park

1987...

Um corpo jaz às margens do rio que passa por uma pequena cidade cheia de gente estranha; o FBI assume a investigação. Os sinais estão muito fortes esta noite... Twin Peaks? Não. Thimbleweed Park.

Os sinais estão muito fortes esta noite...

Press Start - Thimbleweed Park

Lançado em 30 de março, Thimbleweed Park é uma aventura gráfica criada por ninguém menos do que Ron Gilbert e Gary Winnick, os pais de Maniac Mansion, do qual o jogo é um autêntico sucessor espiritual. Outros membros da equipe de 8 pessoas também trabalharam na LucasArts: David Fox, o criador de Zak McKracken and the Alien Mindbenders, e Mark Ferrari,o artista responsável pelos cenários de The Secret of Monkey Island.

15 de maio de 2017

De Volta a Twin Peaks - Segunda Temporada, Episódio 8

De Volta a Twin Peaks - Segunda Temporada, Episódio 8

Aconteceu novamente: o assassino de Laura Palmer fez outra vítima. Aconteceu novamente e nós fomos testemunhas; assistimos, sem firulas, à loucura e à violência às quais Maddy Ferguson foi submetida. Aconteceu novamente e, pela primeira vez nesse jogo de descobrir quem é o assassino, estamos à frente de Dale Cooper.

Escrito por Scott Frost - irmão de Mark Frost - e dirigido por Caleb Deschanel, este oitavo episódio de Twin Peaks muda o foco da investigação para o assassino. Acompanhamos Leland/BOB desde o início do dia, quando ele recebe a visita do casal picolé de chuchu Donna e James. Em todos os momentos seguintes, o pai de Laura é o que já estávamos acostumados a ver: um cara excêntrico, mas inofensivo.

Entretanto, sabemos que de inofensivo Leland/BOB não tem nada, e isso causa uma certa tensão quando o vemos, por exemplo, brandir um taco de golf às costas de Cooper. Tenso também é o momento imediatamente anterior a esse, quando o assassino tenta - sem sucesso - mostrar ao agente o seu conjunto de tacos de golf, armazenados no mesmo saco em que guardou o corpo de Maddy.

Há quem argumente que BOB não é real e que sua existência não passe de um artifício utilizado por Leland e Laura para diminuir o terror de um pai molestando a própria filha, mas o fato é que Leland e BOB habitam o mesmo corpo. Seja possessão demoníaca ou psicose, nunca sabemos quem está no comando; ou melhor: de vez em quando sabemos quando BOB está presente, pois ele é infantil como um vilão que torce o bigode assim que o detetive vai embora sem capturá-lo, mas nunca sabemos se estamos diante de Leland, fruto da boa construção do personagem e, obviamente, do excelente trabalho de Ray Wise.

8 de maio de 2017

Descobrindo BH - Está Chovendo Hambúrguer 7

Sem mais, vamos aos hambúrgueres:

Bocca Hamburgueria Gourmet

Está Chovendo Hambúrguer - Bocca Hamburgueria Gourmet

Imagine uma lanchonete de bairro que serve de tudo: hambúrguer, macarrão na chapa, açaí e o que mais der para incluir no cardápio… Vem, então, a onda de gourmetização, a lanchonete passa a ser chamada de hamburgueria, mas mantém o mesmo cardápio… eclético.

Não sei se este é o caso da Bocca Hamburgueria Gourmet, mas tenho a impressão de que a história da casa, aberta há quase 8 anos, vai bem por essa linha. Em seu cardápio, que tem macarrão na chapa, açaí e tudo mais que der para incluir, estão presentes 11 opções de hambúrgueres, sendo uma delas vegetariana, com - argh - carne de soja.

Estivemos, a convite de um amigo, na hamburgueria em pleno sábado de Carnaval, após um dia de batuques no Unidos da Estrela da Morte, o bloquinho mais nerd da galáxia. Como já estava meio tarde, escolhi uma opção mais leve, o Bocca Nervosa: pão australiano, hambúrguer de picanha de 160g, bacon, cream cheese, salada rica (alface, tomate, cenoura e coisa e tal), cebola, pimentão, picles e molho especial. A Fernanda, que também precisava repor as energias, pediu um combo com o Bocca Egg Bacon: pão com gergelim, hambúrguer, cheddar, ovo, bacon, salada rica e molho especial.

Apesar do pão australiano estar meio seco, o meu sanduíche estava muito - muito mesmo - saboroso. A quantidade de ingredientes e o excesso de informações que ela traz poderiam ter sido um problema, mas tudo combinou bem; até mesmo a pegada de churrasco, resultado das carnes serem grelhadas em um char boiler, deu para ser sentida. A Fernanda também gostou bastante do que pediu, mas seus elogios ficaram mesmo para o suco, o Bocca Vermelha: amora, framboesa e morango.

Por ficar fora das nossas rotas, voltar à Bocca Hamburgueria Gourmet é uma coisa que não faremos tão cedo, apesar de termos curtido bastante a experiência. O bom é que eles têm delivery e, provavelmente, atendem à nossa região.


19 de abril de 2017

Descobrindo Roma

Descobrindo Roma

Roma, a Cidade Eterna. Lar dos Césares e, no passado, o coração da civilização ocidental, a cidade foi fundada, reza a lenda, por Rômulo em 21 de Abril de 753 a.C., mas registros arqueológicos indicam que a área já era ocupada desde o Século X a.C., aproximadamente.

Passear por Roma é – vai soar clichê, mas é a mais pura verdade – como visitar um museu a céu aberto: basta caminhar, por exemplo, pela Corso Vittorio Emanuele II para dar de cara as ruínas do Teatro di Pompeo no Largo di Torre Argentina, onde Júlio César foi assassinado; basta subir a Scala dell'Arce Capitolina para chegar à Piazza del Campidoglio projetada por Michelangelo; basta uma visita à Piazza Navona para apreciar a imponente Fontana dei Quattro Fiumi de autoria de Bernini.

1 de abril de 2017

365 Vidas - And in the end...

365 Vidas - And in the end...

E imaginar que já se passou um ano desde o início desse projeto maluco... As resenhas, infelizmente, não consegui manter no ritmo inicial, mas os vídeos, apesar dos momentos de desânimo e vontade de abandonar tudo, pois eu era como um pregador solitário no deserto, falando aos ventos, eu levei até o final. "Missão dada é missão cumprida" já diria algum personagem mala (como muitos) do Tropa de Elite.

Não consegui gravar de forma satisfatória todos os jogos que testei, pois minha máquina não é lá grandes coisas; nessa lista entra L.A. Noire, Resident Evil: Revelations 2 e Watch_Dogs. Outros, como o interessante Call of Cthulhu: The Wasted Land, eu não consegui gravar de forma alguma, por mais que eu executasse todas as conjurações do jeitinho que manda o Necronomicon. Jogos mais recentes, como Assassin's Creed Unity, Batman: Arkham Knight, Rise of the Tomb Raider e The Witcher 3, eu nem me dei ao trabalho de instalar, porque não iriam passar da tela inicial, dada à minha limitação de hardware, mas são títulos que certamente estão no topo do meu backlog.

Apesar de muitos bundles e algumas promoções, ao somar os títulos da minha biblioteca do Steam, GOG, Uplay e Origin eu não conseguiria chegar aos 365 jogos necessários para essa empreitada. Inicialmente cheguei a cogitar em desenterrar alguns jogos em mídia física, como Alice, The Curse of Monkey Island, Diablo, Myst e outros que, acredite, eu nunca joguei, apesar do hype, mas provavelmente eu perderia mais tempo tentando colocar essas velharias para funcionar do que propriamente jogando. Por isso, acabei optando por resgatar alguns fangames e outros títulos gratuitos descobertos, a sua maioria, na comunidade de usuários do Adventure Game Studio.

Ainda não montei meu backlog definitivo, juntando as listas parciais dessa série, mas a última leva ficou assim: