21 de agosto de 2018

Press Start - Deadly Premonition: The Director's Cut

Press Start - Deadly Premonition: The Director's Cut

Essa história começa com uma garota morta. O crime, que chocou os peculiares habitantes de uma pequena cidade do noroeste americano, traz semelhanças com outros ocorridos fora do estado e, portanto, a investigação fica a cargo do FBI, representado por um jovem agente igualmente excêntrico.

Twin Peaks? Não...

10 de junho de 2018

Chá de VHS - The Last Lovecraft: Relic of Cthulhu

Chá de VHS - The Last Lovecraft: Relic of Cthulhu

“(...) the world is indeed comic, but the joke is on mankind.”
- H.P. Lovecraft

Jeff é um cara comum, preso a um emprego desmotivante em uma empresa de cestas de presentes. Seu melhor amigo, Charlie , trabalha como ilustrador no mesmo local, mas - ao menos - tem um sonho: publicar suas próprias histórias em quadrinhos.

Tudo corre de forma normal - e entediante - na vida de Jeff até o momento em que ele descobre ser o último membro da linhagem de H.P. Lovecraft, e tudo que ele escreveu é real. Como os astros estão alinhados, cabe ao desavisado/despreparado/desmotivado Jeff evitar que o Culto de Cthulhu, liderado pelo Star Spawn, traga R'lyeh de volta à superfície, libertando Cthulhu de seu sono eterno.

Como os conhecimentos de Charlie a cerca dos Mitos de Cthulhu não são suficientes, eles procuram a ajuda do über nerd Paul, e o trio parte - por sua vez - em busca do Capitão Olaf, o único sobrevivente de um encontro com um Deep One, outra criatura marinha bastante familiar aos leitores de Lovecraft.

19 de abril de 2018

Dez anos de Casal Geek

Dez anos de Casal Geek

Tem alguém aí?

Há 10 anos surgiu esse blog... Embora o termo "geek" seja frequentemente associado à tecnologia, o aplicamos mais no sentido do "obsessivo por determinado assunto", quando escolhemos o nome Casal Geek. Apesar disso, no início, nosso conteúdo era, em sua maioria, crônicas e divagações.

Nosso foco começou a mudar quando visitamos a primeira Jedicon mineira e passamos, a partir daí, a "cobrir" alguns eventos (e shows) dos quais participávamos. O formato (e conteúdo) do blog como é hoje, entretanto, passou a ser realmente definido em Janeiro de 2011, quando a Fernanda resolveu registrar nossa primeira experiência no Duke'n'Duke, surgindo então a "seção" Descobrindo BH.

Entre um relato e outro dos lugares que conhecíamos, as crônicas e comentários voltaram no formato de tirinhas. Nós também ensaiamos um podcast, projeto esse abandonado por exigir um nível de dedicação que nunca estaríamos dispostos a dispensar, e algumas obsessões chegaram, finalmente, a aparecer no conteúdo: Twin Peaks, filmes toscos (ou incomuns), livros e, obviamente, videogames, que estrelaram o projeto mais idiota ambicioso de todos, o 365 Vidas.

Desde 2013, quando o blog completou 5 anos de existência, nossas viagens também viraram assunto, pois eram uma extensão do tipo de coisa que já publicávamos no Descobrindo BH. Das cidades visitadas, Paris, Lisboa e São Paulo foram as que ganharam mais destaque; por outro lado, Roma, por exemplo, rendeu um único post e o mesmo, talvez, ocorra com Praga, Berlin e o que mais vier pela frente, pois nossa "produção de conteúdo" tem estado muito mais voltada para o Instagram.

Nosso perfil no Instagram reúne o mesmo tipo de conteúdo que temos mais costume de manter aqui: gastronomia, viagens e andanças por BH; exposições que visitamos também dão as caras por lá, assim como um ou outro evento. Esse perfil foi criado originalmente como um eco do blog, de maneira semelhante ao que fizemos no Twitter e Facebook, mas hoje o caminho é o inverso: coisas que publicamos lá às vezes são agregadas em um post que aparece aqui. Pode não ser o meio ideal, mas é o que nos permite ser mais produtivos no momento.

O que vem aí pela frente nós não sabemos. Se daqui a 10 anos alguém ainda estiver nos acompanhando, teremos descoberto juntos.

- Ouvindo: New Order - All the Way